21.2.08

A quem eu possa confessar...

Pois bem. Escrevi isso deve fazer um mês, para mudar o about me do Orkut. Depois do Carnaval comecei a achar meio cabeça demais pro Orkut, e finalmente vem para cá, na íntegra.

Depois disso veio o Carnaval e a vida ficou mais leve, de tanto que eu me diverti. Não dava para perceber? Foi ótimo. Obrigada, Gabi, pelo convite. Veio numa hora melhor, impossível.

Beijundas, meus lurkers.

--

Eu sou bióloga e paleontóloga. Eu faço isso por paixão e é com paixão também que eu gosto de sentar num buteco e discutir biologia. Apesar disso, isso é minha profissão, não me define como pessoa.

Eu reclamo à beça, mas me considero bem humorada. Você é que não entendeu meu senso de humor. Minha irmã me entende!

Eu não acredito em pessoas que estão bem o tempo todo.

Descobri que sou vingativa de verdade, e que muitas coisas que doem não são consertadas por terceiros que não têm nada a ver com isso. E eu tenho orgulho dessas minhas cicatrizes; elas significam que um dia eu fui corajosa e me arrisquei.

Eu prezo inteligência e sinceridade acima de tudo. Pior que gente burra, só quem se faz de. E ponho os mentirosos no mesmo patamar. Eu não minto e eu falo o que penso e sinto. Tá certo, eu tenho que ponderar antes de falar para não ser grosseira, mas estou aprendendo.

Eu acho que política, religião e esporte não só podem como devem ser discutidos. Mas conservadores reacionários e crentes que só querem saber de converter os outros podem fazer o favor de manter distância...

Eu gosto de rock e poucas coisas me fazem tão feliz e completa como ir no show de uma banda que eu goste. Me mande musiquinhas interessantes e já temos um bom papo para buteco.

Há muito tempo eu descobri que tenho poucos amigos e muitos colegas, e saber distinguir entre eles. E, como diz o Juju, amigo a gente reconhece pela intimidade que não se perde, mesmo na distância. Mas até bem pouco tempo atrás eu costumava pensar, toda feliz, que eu não tinha uma única melhor amiga, mas pelo menos três (quatro?). Até que coisas aconteceram e finalmente percebi que constância, presença, dedicação, apoio e sinceridade sempre vieram de uma única, que sempre esteve ao meu lado em 10 anos de convivência.

Assim como no equilíbrio puntuado, a minha vida evolui em grandes passos, ao invés de gradativamente. Há alguns anos eu cheguei a ouvir um “você mudou muito”. E eu sinto que estou chegando ao fim de uma outra grande mudança, daquelas em que você olha para um ano e meio atrás e nem se reconhece mais. Eu quebrei muito a cara com várias coisas; e elas me moldaram no que sou agora. Descobri novos interesses em mim, descobri o quanto eu amo cinema e artes plásticas. Eu não mudaria de carreira agora, como eu pretendia fazer a um ano, seis meses atrás, porque outras coisas que aconteceram me encheram de confiança de novo. Mas foi bom eu me surpreender com as outras possibilidades que eu escolheria. Outras coisas mudaram e deixei várias bobeiras de lado, aprendi a me deixar curtir mais as coisas. E uma pessoa foi a grande responsável por isso; felizmente ele não virá aqui ler e ficar mais metido do que já é.

Mas nesse momento eu posso dizer que depois de tudo, mesmo depois que a pessoa em que eu mais confiei tenha traído toda a minha confiança, mesmo depois que todos os planos e promessas e muita da minha sensatez foram por água abaixo, ainda persiste em mim aquela crença que as pessoas são boas e que a humanidade tem jeito.

2 comentários:

Clarice disse...

Ei... passei por aki! Hehe...
Na verdade ia comentar isso no orkut, nem lembro se comentei, mas adorei essa sua descrição, sabe q essas coisas são quase vc mesma?
Falta pouca coisa, apenas dizer aquilo q te alegra e q, apesar de reclamar, o q eu acho q não acontece (hahaha!! Será pq, né?), vc é sim alegre e bem humorada... e muito amiga!
Enfim, acho q tem muito tempo q não digo isso: mas eu te adoro muito!!! E te admiro tb... não se esqueça disso!!!
Beijuuuuuu
Clázinha

c.raquel disse...

Olá, Taissa!
Obrigada por ter comentado no meu blog. Ele anda meio empoeirado, então é sempre bom quando comentam. haha

Li seu post e me surpreendi com a quantidade de coisas que me identifiquei. xD Mas, o que mais me espantou(no bom sentido, claro)foi o fato de vc ser paleontóloga. Nunca conheci alguém que tivesse optado por esse curso. É uma pena, pois acho simplesmente fantástico.

Desde pequena sou fascinada por ciência e coisas antigas(rs).Só desisti de ser paleontóloga, pois sempre me disseram que não tinha mercado para isso aqui no Brasil, o que é muito triste. :/ No fim, acabo deixando isso mais como um hobby. rsrs

Grande beijo!