3.12.08

Pout-pourri

Guten Morgen! 4 horas da manhã no horário brasileiro de verão e eu estou sentada no aeroporto de Munique, esperando meu vôo para Dresden, que está atrasado e sem previsão de partida. Acabei de resistir à tentação de comprar um HD externo de 250 por 80 euros e/ou uma Nikon Coolpix por 109. Barato, viu!

Voar pela Lufthansa foi excelente! Aeromoças te paparicam o tempo todo com água, suco, refri etc...; as poltronas são confortáveis e os lados do encosto de cabeça se dobram, para quando vc dormir não ficar com a cabeça caindo; e ainda tem travesseiro e cobertor. O almoço foi bom (quase explodi, visto que comemos bastante em Guarulhos antes de embarcar), mas eu teria trocado o omelete do café da manhã por outro pãozinho.

Minha bagagem de mão deu trabalho nos dois aeroportos: em Sampa, não queriam me deixar levar o paquímetro, mas felizmente o chefe lá viu que ele É frágil; e em Munique me pediram para abrir a mochila: o problema dessa vez era o teclado numérico do note, hehehe. Ano passado me fizeram abrir a mochila para ver o paquímetro, mas na gringolândia o povo não sabia o que ele era – nisso fiquei surpresa do povo em SP saber do que se tratava.

No mais, parece estar frio lá fora. Na minha frente tem um cara lendo jornal (na verdade cochilando) usando uma camiseta, uma veste de lã, uma camisa, um sobretudo e um cachecol, mas ironicamente uma só calça, fina, conjunto da camisa. Vai entender.

Opa, avião chegando no portão. Será que dessa vez é ele?

--

Na viagem de Munique para Dresden, o chão alternava entre o verde escuro e o branco... seriam campos cobertos de neve ou de gelo?

--

Agora são seis da tarde na hora local e o sol se pôs há uma hora atrás, de modo que está bastante escuro e bem frio. Fui no Goethe, vou começar amanhã no A1 (que loser). Mas o que me deixou chateada foi terem aberto uma das minhas malas no trajeto pra cá! Arrombaram o cadeado e tudo. Dei uma olhada rápida e tudo parecia estar do mesmo jeito que arrumei. Mas poxa, precisava abrir minha mala de roupas e papers? Bom, de qualquer forma, estou neste momento escrevendo do apê, e parece que tem umas redes wifi do Goethe, mas são todas protegidas. Amanhã tem reunião com os novos membros do prédio, e vou aproveitar para perguntar sobre isso.

--

Tag 2

Neve na Irlanda, por enquanto nenhuma na minha janela. Acho que nunca me enchi de tanta roupa antes de sair (cof cof cof, olha o exagero... já fiz pior em Ouro Preto! Hehe) A americanada  chegou em massa ao Goethe, será que vão dar conta de terminar todo esse café da manhã nos 5 minutos antes da aula começar? Ah, olha lá, uma chegando com a bandeja do café 1 minuto antes da aula. Hora de desligar o PC... Tchüs!

2 comentários:

Clarice disse...

Esqueci de comentar isso, mas vc lembra de um e-mail q circulou na net falando do cara q foi morar nos EUA e estava doido p/ ver neve? o fim dele não é muito bom.. e qdo vejo vc falando de querer ver neve lembro dele na hora... hihi... espero q p/ vc seja melhor...

Taissa disse...

É, já me avisaram que neve é a coisa mais sem graça... mas que nevar é uma coisa legal. E não, nunca li esse email... e nem precisa mandar, viu? :P